/>

Piloto brasileiro da RP Motorsport domina segunda corrida na Hungria e abre 93 pontos de vantagem na liderança do Euroformula F3 Open

A primeira metade da temporada do Euroformula F3 Open terminou com vitória brasileira. 

Felipe Drugovich, segundo no grid, ultrapassou o pole position holandês Bent Viscaal poucos metros após a largada e liderou as 17 voltas da corrida que complementou neste domingo (8) a quarta etapa do campeonato, no circuito húngaro de Hungaroring. Viscaal e o argentino Marcos Siebert foram segundo e terceiro, repetindo o pódio da corrida de sábado (7).

No treino classificatório disputado pela manhã, Drugovich ficou a 0s123 de Viscaal. “Fizemos uma boa tomada de tempos, mas não consegui encaixar todos os melhores setores na mesma volta. Às vezes acontece”, comentou o brasileiro da RP Motorsport. “Ultrapassar aqui é muito difícil e eu estava muito focado em fazer uma boa largada. Sabia o que tinha de fazer, consegui antes da primeira curva. Tudo aconteceu como planejamos”, resumiu.

Sempre pressionado por Viscaal, Drugovich conseguiu imprimir um ritmo forte no início da disputa. Até a sexta volta, estabeleceu quatro vezes a volta mais rápida da corrida – que viria a consolidar na 13ª, superando por 13 milésimos de segundo o tempo do adversário holandês, assegurando mais um ponto de bonificação na classificação do campeonato. Na metade da prova, a vantagem do brasileiro na liderança já era superior a dois segundos.

“Era importante conservar os pneus para as voltas finais, e meus pneus chegaram muito bons ao fim da corrida. Tivemos um bom ritmo, mais uma vez o carro realmente bom, só tenho a agradecer à RP Motorsport”, declarou o líder do Euroformula F3 Open. Ele chegou aos 204 pontos e abriu 93 de dianteira sobre Viscaal, que com os segundos lugares conquistados nas duas corridas da etapa da Hungria assumiu a vice-liderança do campeonato.

Encerrada a primeira metade da temporada do Euroformula F3 Open, o calendário abre um intervalo de sete semanas sem corridas. A quinta etapa, no circuito inglês de Silverstone, terá suas provas nos dias 1º e 2 de setembro. As provas seguintes ocorrerão em Monza, na Itália, nos dias 22 e 23 de setembro. As duas etapas finais acontecerão na Espanha: em Jerez de La Frontera, em 6 e 7 de outubro, e em Barcelona, nos dias 20 e 21 de outubro.

EUROFORMULA F3 OPEN – CORRIDA 2
(Resultado final em Budapeste após 17 voltas)
1º) Felipe Drugovich (BRA/RP Motorsport), 27min53s972
2º) Bent Viscaal (HOL/Teo Martin Motorsport), a 5s253
3º) Marcos Siebert (ARG/Campos Racing), a 12s221
4º) Cameron Das (EUA/Carlin Motosport), a 14s268
5º) Matheus Iorio (BRA/Carlin Motorsport), a 20s721
LEIA MAIS >>>

Drugovich alcança sexta vitória no ano em dia de chuva e de pista seca na Hungria

Piloto brasileiro lidera de ponta a ponta primeira corrida da quarta etapa do Euroformula F3 Open em Hungaroring

Felipe Drugovich manteve neste sábado (7), em uma das corridas mais conturbadas da temporada, seu domínio na disputa pelo título do Euroformula F3 Open. Largando da pole position, o brasileiro da RP Motorsport liderou de ponta a ponta a corrida que abriu a quarta etapa, no circuito de Hungaroring, na Hungria. O holandês Bent Viscaal e o argentino Marcos Siebert completaram o pódio da sétima corrida do campeonato de 2018.

A tomada de tempos classificatória foi disputada sob chuva e Drugovich assegurou a sexta pole position no ano, 0s167 à frente de Viscaal, o segundo. Na corrida, largou assumindo a linha interna do traçado e, apesar da pressão do holandês nas primeiras curvas, estabeleceu sua liderança para vencer pela sexta vez no ano, chegando a 178 dos 189 pontos possíveis em sete corridas e abrindo vantagem de 83 pontos na liderança da tabela.

A corrida aconteceu com pista seca. “Não há muito o que dizer. A equipe fez um trabalho incrível tanto para o treino com chuva quanto para a prova, que foi no seco. O carro estava perfeito, me permitiu fazer tudo o que planejamos”, comemorou o brasileiro de 18 anos. “Foi uma etapa em que cumprimos a meta principal, que é o foco no campeonato, em conquistar o maior número possível de pontos, e hoje conseguimos todos os pontos”, resumiu.

A corrida que abriu a etapa da Hungria teve duas intervenções do safety car. A primeira, logo na segunda volta, por conta do acidente entre Guilherme Samaia e Leonardo Hoogenboom, que eliminou ambos da disputa – o holandês permaneceu na pista sem o aerofólio traseiro por mais 10 voltas. A intervenção durou quatro voltas. O safety car voltou à pista na 14ª volta, quando Christian Hahn e Lukas Dunner bateram na disputa pelo sétimo lugar.

Felipe Drugovich, que compete com apoio de Drugovich Auto Peças, Stilo e Alpinestars, voltará à pista em Hungaroring neste domingo (8), para a segunda e última corrida da etapa, que complementará a primeira metade da temporada do Euroformula F3 Open. A tomada de tempos classificatória terá início às 9h e a largada da corrida será dada às 13h10 – os horários são referentes à Hungria, que está cinco horas à frente de Brasília no fuso horário.

EUROFORMULA F3 OPEN – CORRIDA 1
(Resultado final em Budapeste após 19 voltas)
1º) Felipe Drugovich (BRA/RP Motorsport), 34min35s063
2º) Bent Viscaal (HOL/Teo Martin Motorsport), a 2s049
3º) Marcos Siebert (ARG/Campos Racing), a 4s979
4º) Matheus Iorio (BRA/Carlin Motorsport), a 5s877
5º) Cameron Das (EUA/Carlin Motosport), a 6s770
LEIA MAIS >>>

Fim de bibliotecas em ônibus faz leitura despencar em SP

Programa municipal de ônibus-bibliotecas sobreviveu por oito décadas de maneira intermitente até o fim de 2015 e está parado desde então .

Em 1936, seu último ano como diretor do Departamento de Cultura da Prefeitura de São Paulo, o escritor Mário de Andrade questionou: em vez de esperar que o público fosse às bibliotecas, por que elas não vão ao público?

Ele então procurou a montadora Ford, colocou livros dentro de um ônibus e os levou para regiões periféricas da capital paulista, onde o transporte é precário e o acesso a bibliotecas é escasso.

Aos trancos e barrancos, o programa municipal de ônibus-bibliotecas sobreviveu por oito décadas de maneira intermitente até o fim de 2015 e está parado desde então.

A suspensão do projeto fez despencar os números de acesso a livros na cidade.

Em 2015, 627.637 consultas a livros foram feitas em ônibus-bibliotecas, quase a metade do número total (1.519.780). Comparativamente, 648.518 consultas foram feitas nas 52 bibliotecas na cidade naquele ano (atualmente são 54).

No ano passado, o primeiro período inteiro sem ônibus, o total de consultas a livros na cidade caiu para 843.579.

Ainda que o número de consultas em bibliotecas convencionais tenha subido 4% em relação a 2015, a queda no total de consultas na cidade foi de 44,5% (consultas podem ainda serem feitas em programas como Bosques da Leitura e Ponto de Leitura).

No último ano de atividades, doze veículos percorriam 72 roteiros nos quatro cantos da cidade. Cada um deles com 4.000 itens: livros, revistas e jornais. Regiões periféricas como Brasilândia, Cachoeirinha, Capão Redondo, Cidade Tiradentes estavam no mapa.

O último contrato, de cinco anos, da prefeitura com as empresas de ônibus encerrou-se no final de 2015, durante a gestão Fernando Haddad (PT).

Uma licitação foi aberta, mas empresa que teve sua participação cancelada por supostos problemas na documentação entrou na Justiça e conseguiu a interrupção do processo.

No final de 2016, a administração petista fez nova licitação, que não foi levada adiante pela administração atual devido a questões orçamentárias.

Foi em um ônibus-biblioteca estacionado próximo ao terminal Varginha, no extremo sul da capital, que Amanda Cruz, 23, teve acesso às obras cobradas no vestibular da USP, no fim de 2012. "A minha família não é de leitores, meus pais não se formaram no ensino fundamental, então minha casa não tinha livros. Era uma oportunidade para eu conseguir ler", diz.

Os livros não só a ajudaram a passar no vestibular como também a escolher sua profissão. "Foi nessa biblioteca que eu conheci a obra de Mário de Andrade e foi por causa dele que decidi estudar letras", conta ela, agora aluna da USP.

"Hoje tenho acesso a outras coisas, vou à biblioteca da universidade e a outras pela cidade. Mas e quem nem sabe que pode procurar esses lugares?".

A escritora e tradutora Maria José Silveira, que recebeu o prêmio APCA por seu romance de estreia, "A Mãe da Mãe de sua Mãe e suas Filhas" (2002), participou de encontro com leitores em roteiro do ônibus-bilioteca em 2015, no Jardim Ângela, na zona sul.
Ela diz que o ônibus estacionou perto de escola pública da qual saíam alunos e pais, que paravam para conversar.

"Tive um contato importante com um público diferente daquele a que estou acostumada em livrarias e faculdades. Conversei com pessoas mais carentes, mais atenciosas, mais interessadas".

Secretária de Cultura entre abril e dezembro de 2016, Rosário Ramalho explica que o programa era prioritário e a ideia era ampliá-lo, o que não foi possível devido à interrupção da licitação pela liminar.

"A prefeitura perdeu na Justiça a licitação, mas nós [gestão Haddad] deixamos outra proposta e também recursos para que o programa fosse retomado em 2017. Aconteceu aquele congelamento monstro [43,5%] do orçamento da secretaria em 2017 e ela praticamente parou, e então a licitação não foi retomada."

Em 2017, o Tribunal de Contas do Município apontou a participação significativa dos ônibus nos índices de leitura. Em resposta, a Secretaria de Cultura, já na gestão Doria, disse que planejava colocar um veículo em funcionamento no primeiro semestre de 2018, o que não ocorreu.

Em nota, a Secretaria de Cultura afirma que "colocou R$ 2 milhões no orçamento de 2018 para este projeto. A retomada do ônibus-biblioteca está vencendo barreiras burocráticas para ser ativada ainda este ano."

Informa também que "houve um acréscimo de consultas e empréstimos de livros e frequência de público nas bibliotecas em 2017 em relação a 2015. A melhora se deve à implementação do programa Biblioteca Viva, que consiste em levar programação cultural semanalmente, a disponibilização de wi-fi gratuito e mudanças mobiliárias em todas as bibliotecas, tornando estes espaços mais atrativos para a população." Com informações da Folhapress.













LEIA MAIS >>>

Festas Juninas:Não vá com muita fome para as festas.

Em época de festas juninas é divertida e reúne toda a família e amigos. É um momento de descontração, que muitos esperam o ano todo para degustar os saborosos pratos típicos. Por isso, não há necessidade de privação do consumo, mas, sim, de equilíbrio e bom senso nas escolhas. 

Confira as dez dicas que preparamos para vocês:

1- Evite consumir dois ou mais pratos típicos muito calóricos na mesma festa, como pastel e cachorro quente, por exemplo;

2- Balanceie as escolhas alimentares nas festas, como: caldo e pastel ou churrasquinho e baião de dois

3- Caso queira ingerir e experimentar uma sobremesa típica das festas, escolha uma entre as diversas opções presentes: bolo, doce caseiro (cocada, pé de moleque, doce de frutas), chocolate quente, maçã do amor, canjica, pamonha doce;

4- Opte por ingerir somente um tipo de bebida após ou antes das comidas, assim o consumo calórico não se elevará tanto;

5- Procure não ir a todas as festas. Escolha algumas para ir. Assim, você evita o alto consumo dessas comidas típicas calóricas;

6- Ao escolher a ingestão do cachorro quente, prefira na chapa, para evitar os molhos prontos muitas vezes utilizados nesta opção de preparo;

7- Quando comemos pouco, podemos comer de tudo um pouco e o efeito não será tão prejudicial. Portanto, cuidado na quantidade das porções;

8- Caso queira experimentar de tudo um pouco, compre e leve para casa e consuma nos dias seguintes e em outros horários;

9- No caso das crianças, cabe aos pais o controle do que ela irá ingerir nas festas. Então, desenvolva um limite de consumo para também apenas uma refeição doce, caso ela queira;


10- Última dica muito importante! Não vá com muita fome para as festas. Assim, o estrago será maior. Procure fazer um lanche da tarde rico em fibras (frutas, proteínas e cereais). Dessa forma, a fome no período noturno estará mais controlada.
LEIA MAIS >>>

Trânsito muda na Esplanada para celebração de Corpus Christi

Festividade católica ocorrerá nesta quinta (31), das 6h;30 às 21 horas.Nesta quinta-feira (31), duas faixas próximas do canteiro central das Vias S1 e N1, na Esplanada dos Ministérios, serão interditadas para a celebração de Corpus Christi. A festividade católica ocorrerá das 6h30 às 21 horas.
Segundo o Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF), o bloqueio em frente à Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida, na altura dos terceiro e quarto quadrantes, será a partir da noite de hoje (30).

Previsão é que todas as vias sejam liberadas às 22 horas
Por volta das 16h45 de quinta (31), o Detran vai fechar a S1 na altura da catedral para a travessia do clero em direção ao canteiro central e para que o público possa cruzar a via em segurança e participar da missa no gramado, prevista para iniciar às 17 horas.

Às 18h30 — horário em que começará a procissão —, a Via S1 será fechada novamente, e o trânsito, desviado para a L2 Sul e para a ligação L2 Sul-L2 Norte (Buraco do Tatuí).

Durante a caminhada dos fiéis pela Esplanada, permanecerá interrompido o acesso da Via L4 para a Via N1 — interditada na altura do Ministério dos Transportes —, e os veículos deverão desviar para a via de ligação N1-S1.

A S1 continuará fechada até o término da procissão e da dispersão total dos participantes. A previsão é que todas as vias sejam liberadas completamente para o trânsito de veículos às 22 horas.



LEIA MAIS >>>

Artigo::NAÇÃO COVARDE E CORRUPTAS..

Desculpa caminhoneiros pela vergonha que o povo vai fazer vocês passarem, desculpa por vocês ficarem 8 dias dormindo a beira da BR, dependendo de comida e água, longe de suas famílias enquanto nós estamos dentro de nossas casas no aconchego.

Desculpa por não sermos um povo unido.

DESCULPA por lutarem sozinhos a favor do interesse de todos.
Desculpa em nome dos empresários que estão com suas portas abertas ao invés de parar nem se quer um dia pra colocar todos na rua por um Brasil 🇧🇷 mais justo.
Chega voltem pra suas casas, voltem a rodar pelas estradas a luta de vocês foi em vão.
Voltem a trabalhar porque a maioria só está preocupado em abastecer seus carros, aceitando o preço de R$ 4,29.
Se amanhã o preço subir a R$ 7,80 ou R$ 10,00 que seja eles irão pagar, porque já acostumaram a puxar a carroça.

Voltem a vida  de vocês, voltem a ganhar seu salário baixo mais que ainda assim dá pra sobreviver e manter suas famílias, ainda dá tempo de colocar as contas em dia desses 8 dias parados por uma Nação Ignorante que só pensam em si próprios.
A luta de vocês foi por todos, do agricultor até o empresário e quem tá lutando por vocês?!

Já viramos chacota, nem o exército dá conta de uma nação burra e mesquinha.
Nem eles nos leva a sério imagina o governo!
Ta na hora de retornar, é hora de levantar acampamento e sair de cabeça erguida e com orgulho gritar ao mundo.

NÓS FIZEMOS A NOSSA PARTE, SOMOS GUERREIROS DE TODA A NAÇÃO BRASILEIRA! 
E se amanhã vocês virar piada na boca dos políticos não se sintam culpados, a culpa é toda nossa por sermos covardes!!OBRIGADO CAMINHONEIROS!! 


LEIA MAIS >>>

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
imagem-logo
© Guerreiros do Asfalto DF - 2012 - Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo