DF registra 181 mortes no trânsito no primeiro semestre deste ano

Jovens entre 20 a 35 anos são as principais vítimas
O Distrito Federal vem avançando no combate aos acidentes de trânsito com vítimas fatais. Desde que a Lei Seca foi implantada, em 2008, o número de mortes diminuiu em 16%. No entanto, os números ainda não estão dentro da meta estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU), que anunciou que o período de 2011 a 2020 será a "Década de Ações pela Segurança Viária", e recomendou uma força tarefa junto aos países membros para reduzir em 50% o número de mortes no trânsito.
 Em 2014 foram registrados 371 acidentes com vitimas fatais, que ocasionaram 407 mortes. O número de acidentes com feridos foi de 10.181, que resultaram em 12.729 vítimas feridas. No primeiro semestre de 2015 já ocorreram 167 acidentes fatais, com 181 óbitos. A faixa etária entre os óbitos de 2014 e 2015 são jovens entre 20 a 35 anos e a maioria do sexo masculino.
 A Secretaria de Saúde do DF faz parte do Comitê de Mobilidade Cidadã do DF, do Projeto Vida no Trânsito, que conta também com representantes das Secretarias de Educação, Criança, Mobilidade e Segurança Pública, Polícia Rodoviária Federal, Universidade de Brasília (UnB) e SESC.
 Dentro da Secretaria de Saúde, o Núcleo de Prevenção de Acidentes (Nupaci) é o responsável pela promoção de ações de conscientização para a prevenção aos acidentes de trânsito. Ao longo do ano, o núcleo participa de várias atividades no DF, em parceria com órgãos locais e federais, como as campanhas do Maio Amarelo, Dia Mundial em Memória das Vítimas do Trânsito, Comando de Saúde nas Rodovias e Semana Nacional de Trânsito.
 "As mortes no trânsito têm uma magnitude importante que deve ser tratada como um problema de saúde pública. É uma epidemia global que atinge a todas as faixas etárias. No DF, o perfil das vítimas fatais é de jovem, principalmente do sexo masculino. Um dos principais fatores continua sendo a relação álcool e direção, muitas vezes associado à alta velocidade no trânsito. Por isso é tão importante trabalhar a conscientização da sociedade para prevenir os acidentes e assim conseguir diminuir esses índices", destaca a chefe do Nupaci, Janilce Guedes.
 CONFERÊNCIA GLOBAL - Entre os dias 18 e 19 deste mês, Brasília foi cede da 2ª Conferência Global de Alto Nível de Segurança no Transito. O evento reuniu 1,5 mil participantes de mais de 120 países, com o objetivo de discutir ações, medidas de prevenção e experiências bem-sucedidas para atingir a meta do Plano Global para a Década de Ações 2011-2020 de reduzir as mortes no trânsito pela metade. Em todo o mundo, 1,2 milhões de pessoas morrem anualmente por violência no trânsito. No Brasil, 42 mil mortes por ano são provocadas por acidentes de trânsito. Fonte: Detran-DF

Um comentário:

  1. OSCIP ASSOCIAÇÃO SOCIOAMBIENTAL CARONA LEGAL

    A carona é legal, conforme o artigo 736 do Código Civil Brasileiro, combinado com a Súmula 135 do Supremo Tribunal de Justiça, onde descrevem que: "o transporte solidário de passageiros, é aquele realizado gratuitamente, por amizade e cortesia”.

    A OSCIP Carona Legal é uma instituição sem fins lucrativos, qualificada no Ministério da Justiça, com mais de cinco anos de existência, possuindo notório conhecimento do tema proposto, sendo autora de vários projetos com Pareceres Favoráveis na Câmara de Deputados, entre eles o Projeto de Lei nº 8.074/2014, e as SUG 143/2014 (audiência pública sobre conceitos e preconceitos da carona no Brasil), além de outras que versem sobre o SISCARLEG no Brasil.

    O Projeto “SISCARLEG BR” visa à educação ambiental, mobilidade urbana, e a socialização dos motoristas, com a finalidade de aproximar os proprietários de automóveis particulares e os nãos proprietários, CARONISTAS e CARONEIROS, voluntários e adeptos ao transporte solidário, de forma participativa, segura e sem finalidade lucrativa, incentivando o uso racional do automóvel, quebrando paradigmas para que as pessoas não sejam solitárias e sim solidárias no trânsito nas grandes cidades do Brasil.

    Carona solidária, traduzida em inglês: Carpool ou Carpooling é o uso compartilhado em alternância de um automóvel particular por duas ou mais pessoas, para trafegar juntos durante o rush no trajeto de casa ao trabalho ou a escola e vice-versa.
    Numa analogia, na carona legal e gratuita, todos os participantes são proprietários de um carro e alternam seu uso, economizando assim em despesas de combustível e contribuindo com a redução do congestionamento, diminuindo a poluição do ar e a emissão de CO2, além de contribuir no desperdício de água e poluição dos rios e lagos com lavagem dos automóveis.

    Esta é uma prática típica de cooperativa associativa, sendo um ato de solidariedade e conscientização, que envolve distintos graus de educação, regularidade, segurança e formalidade. A carona solidária é uma das medidas da gestão de trânsito e transporte altamente incentivada nos Estados Unidos, no Canadá e vários países da União Europeia para aliviar os problemas crônicos de congestionamento viário.


    VALDIR BRAZ DE AZEVEDO -

    Presidente da Associação Carona Legal

    (61) 3306-1944 - Email: vbrazazevedo@bol.com.br – watsapp 61 9653-0779

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
imagem-logo
© Guerreiros do Asfalto DF - 2012 - Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo