Projeto Ame, mas não sofra! ultrapassa 1.400 atendimentos em um ano

Programação de aniversário terá homenagens aos participantes dos cursos e palavras de especialistas
 O projeto Ame, mas não sofra!, voltado para apoio às famílias de dependentes químicos, os chamados codependentes, da Subsecretaria de Políticas Sobre Drogas (Subad), da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejus),  completa um ano e comemora a marca de 1.464 atendimentos a familiares de usuários de drogas e profissionais e voluntários atuantes na área.

Em um ano, foram realizadas cinco edições do Curso de Multiplicadores de Ações de Apoio às Famílias de Dependentes Químicos, tendo formado 602 pessoas. As inscrições para o VI Curso de Multiplicadores estão abertas.

Além disso, foram feitos 864 atendimentos nas Unidades de Apoio às Famílias. Atualmente, os atendimentos são realizados na Unidade de Apoio às Famílias, localizada na Zona Industrial, Estação Rodoferroviária, Ala Sul, Sala 09.

“O grande mérito desse projeto é formar uma rede de atenção às pessoas que convivem com o drama de quem usa droga. É preciso conhecer a natureza do problema para poder ajudar e é esse conhecimento que estamos oferecendo por meio do Ame, mas não sofra!”, diz o secretário de Justiça, Claudio Monteiro.

No aniversário do projeto, a Subad preparou uma programação com homenagens a participantes dos cursos e bate-papo com psiquiatras, que abraçaram o projeto, e simpatizantes da causa. “É o primeiro programa que olha para o familiar em nível governamental. Temos orgulho dos resultados”, afirma a subsecretária da Subad, Amanda Wanderley.

A mãe do cantor e compositor Renato Russo, Carminha Manfredini, foi convidada para dar seu testemunho de como foi ser mãe de um dependente químico em uma época em que pouco se falava sobre o assunto. Ela é uma das apoiadoras da iniciativa da Secretaria de Justiça.
Objetivo - A maioria das famílias de dependentes químicos adoece emocionalmente por se culparem pela doença de seus entes queridos, atingindo alto grau de codependência e sofrendo os seus males, que por vezes resultam em: depressão, síndrome do pânico..

Essas famílias, em grande parte, sentem vergonha, sofrem em silêncio, sozinhas, isoladas, e se preocupam apenas com o tratamento do familiar adicto, esquecendo-se de si mesmas.
 

O projeto Ame, mas não sofra! tem como público-alvo os familiares, uma vez que cabe a eles importante papel na recuperação do dependente químico e também na prevenção do uso de drogas.

A equipe do projeto está capacitada para fornecer informações sobre codependência, dependência química, e tratamentos existentes, por meio de atendimentos individuais e de palestras coletivas.
 

 
 Programação:


Horário
Atividade
10h
Abertura
Composição da mesa de autoridades
Execução do Hino Nacional
10h20
Apresentação do projeto Ame, mas não sofra
- Coordenadora do projeto, Gianni Puglisi
10h40
Palavra das autoridades
- Assessor de Políticas sobre Drogas/ Presidente do CONEN, Leonardo Moreira
- Subsecretária de Políticas sobre Drogas, Amanda Wanderley
- Secretária adjunta de Justiça, Flávia Macedo da Cruz
11h10
Homenagens
Multiplicadores – Neusa de Paula
Palestrantes – Dr. Evandro Faganello
Idealizadores – Dr. Leonardo Moreira
11h40
- Palavra de Carminha Manfredini, mãe do cantor e compositor Renato Russo, apoiadora do projeto
- Encerramento

 
Serviço:
Um ano do projeto Ame, mas não sofra!
Quando: Quarta-feira, 5 de novembro
Hora: 10h
 
Locais: Hall de entrada da Secretaria de Justiça,
Direitos Humanos e Cidadania, localizada na Zona Industrial, Estação Rodoferroviária.

Assessoria de Comunicação Social
Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania
 
Governo do Distrito Federal
(61) 2104-4273/4222/4223/4224/4225
https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
imagem-logo
© Guerreiros do Asfalto DF - 2012 - Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo