Mais de 49 mil km de rodovias têm pavimento com problemas

Desses, 13.017 km são considerados críticos em avaliação da Pesquisa CNT de Rodovias 2014.

 Quase metade dos 98.475 km de rodovias avaliadas pela Pesquisa CNT de Rodovias 2014, divulgada nessa quinta-feira (16), apresenta algum tipo de deficiência no pavimento. Conforme o levantamento, 49,9% dos trechos foram classificados como regulares, ruins ou péssimos, o equivalente a 49.120 km. O total de trechos críticos (ruins + péssimos) chega a 13.017 km de rodovias. Outros 42,4% dos trechos analisados foram classificados como ótimos e 7,7% como bons.

“O pavimento deve suportar os efeitos das mudanças de clima, permitir deslocamento suave, não causar desgaste excessivo dos pneus e nível alto de ruídos, ter estrutura forte, resistir ao fluxo de veículos, permitir o escoamento de água e ter boa resistência a derrapagens”, destaca o relatório do estudo. De acordo com a Confederação Nacional do Transporte, irregularidades, buracos, trechos destruídos e ausência de acostamento são fatores que podem elevar o risco de acidentes. Além disso, a qualidade do pavimento interfere diretamente no desempenho do usuário durante a viagem e em custos operacionais, como no desgaste dos veículos e consumo de combustível.

Apesar dos problemas, em 96,1% dos trechos a pesquisa indica que o motorista não se vê obrigado a reduzir a velocidade em razão das falhas.

Os técnicos consideraram, na avaliação, a condição da superfície, a velocidade possível de ser atingida e também acostamento.
Superfície
Quanto à superfície do pavimento, o asfalto está desgastado em 43.991 km. Em 18.791 km há trincas ou remendos na malha e, em outros 3.275 km de rodovias, o que prejudica as viagens são afundamentos, ondulações e buracos. A condição é considerada perfeita em 31.926 km, o equivalente a 32,4% do total analisado.

Ainda conforme a CNT, há 492 km em que o pavimento está totalmente destruído. A maior concentração do problema ocorre na BR-155/PA, na MA-006, na BR-210/RR, na BR-020/PI, na GO-115/BR-010/GO, na BAT-030/BR-030/BA.

Rodovias estaduais apresentam mais problemas
Os governos estaduais apresentam mais dificuldades em manter o pavimento em condições adequadas para os usuários. Conforme a Pesquisa CNT de Rodovias 2014, em 65,3% dos 32.305 km de trechos estaduais avaliados há problemas. Desses, 44,2% foram considerados regulares, 15,3% ruins e 5,8% péssimos. As rodovias sob gestão dos estados consideradas ótimas ou boas somam apenas 34,7%.

Já entre as BRs, 42,3% do pavimento foram classificados como regular, ruim ou péssimo. A maioria ainda é considerada boa ou ótima, num total de 57,7%.

No comparativo entre as públicas e as concessionadas, os 15.072 km de rodovias concedidas têm um ganho considerável na qualidade do pavimento: 79,5% está em condições adequadas. Os 20,5% restantes foram classificados como regulares, ruins ou péssimos.

Já naquelas sob gestão pública, a maior parte do pavimento está regular, ruim ou péssimo (56,9%). Em 35,6% as condições são ótimas e em 7,5%, são boas.

Dados gerais da Pesquisa CNT de Rodovias 2014
A pesquisa avaliou 98.475 km de rodovias pavimentadas, 1.761 km mais que na edição anterior. Desses, 62,1% apresentaram alguma deficiência no pavimento, sinalização ou geometria da via.

Dos trechos analisados, 37,9% apresentaram condições satisfatórias, ou seja, foram classificados como ótimos ou bons. Outros 38,2% estão em condição regular, 17% foram avaliados como ruins e 6,9% como péssimos. 

Natália Pianegonda
Agência CNT de Notícias


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
imagem-logo
© Guerreiros do Asfalto DF - 2012 - Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo