Saúde do DF remaneja pacientes para abrir vagas em leitos para Copa



Subsecretário diz que transferência ocorre apenas em casos não graves.
Medida visa atender uma possível demanda extra por causa da competição.

Subsecretário Roberto Bittencourt afirma que taxista não morreu por H1N1 (Foto: Reprodução/TV Globo) A Secretaria de Saúde do Distrito Federal está remanejando pacientes de hospitais da região central de Brasília para outras unidades da rede pública, como as de Sobradinho, Ceilândia e Taguatinga. A medida foi tomada a fim de reservar leitos para um possível aumento de demanda por conta da Copa das Confederações, que tem início neste sábado (15), com jogo entre Brasil e Japão.

Segundo o subsecretário de Atenção à Saúde, Roberto José Bittencourt, o remanejamento pretende impedir que faltem vagas nas unidades próximas ao Estádio Nacional Mané Garrincha, palco do jogo de abertura da competição. Ele afirma que o GDF está trabalhando com uma “reserva técnica”, com base em dados da Fifa, que mostram que há um aumento de 10% da demanda nos grandes eventos da entidade.
“Temos uma reserva de 10% dos leitos para emergências. Nós trabalhamos em rede e não há prejuízo no atendimento por causa disso. O que queremos é otimizar o atendimento, pois teremos uma população flutuante de 500 mil pessoas no Plano Piloto no dia do evento”, afirma o subsecretário.

Segundo Bittencourt, pacientes vítimas de trauma, AVC, infarto e de outras emergências graves não estão sendo transferidos para outras unidades.

Bittencourt diz que todos os setores do Hospital de Base de Brasília (HBB), do Hospital Regional da Asa Norte (Hran), Hospital Materno-Infantil de Brasília (Hmib) e do Hospital Universitário de Brasília (HUB) vão trabalhar com 10% a mais de funcionários. Nessas unidades, a secretaria está reservando 10% dos leitos para atender uma possível demanda extra.
O que queremos é otimizar o atendimento, pois teremos uma população flutuante de 500 mil pessoas no Plano Piloto no dia do evento"
Roberto José Bittencourt,
subsecretário de Atenção à Saúde do DF
No HBB, centro cirúrgico, UTI e na sala vermelha (destinada a pacientes vítimas de trauma, AVC e infartos), o número de profissionais vai ser duplicado neste fim de semana, segundo Roberto Bittencourt.

Reclamação
A coordenadora de compras Márcia do Valle diz que a medida da Secretaria de Saúde prejudica a população. A sogra dela estava internada no Hospital de Base, com uma fratura no fêmur. Ela foi transferida para o Hospital Regional de Sobradinho nesta quarta-feira (12).

“Sobradinho é muito contramão para a nossa família. Eu e meu marido moramos no P Sul, em Ceilândia, a outra filha da minha sogra mora no Guará. Recebemos a ligação às 9h30 dizendo que ela seria removida para Sobradinho. Na hora, a pressão dela subiu, a glicose também. Ela tem 67 anos, tem diabetes e artrite. Ela tinha cirurgia marcada para segunda [17] e até agora ninguém disse o que vai acontecer”, diz Márcia.

Segundo ela, a paciente foi levada para a ala pediátrica do hospital de Sobradinho. “Ela foi pra lá por falta de leito, e não tem estrutura, está superlotado”, afirmou.

O subsecretário Roberto Bittencourt disse que o setor de pediatria de alguns hospitais está ocioso, por isso pacientes estão sendo transferidos para essas áreas. Ele disse que não vê problema nisso porque não estão colocando pacientes pediátricos nas mesmas unidades dos adultos e não há prejuízo no atendimento.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
imagem-logo
© Guerreiros do Asfalto DF - 2012 - Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo