Por que parou? Parou por quê?

A última coisa que qualquer motorista espera de um carro é que ele pare
de repente. Confira cinco problemas comuns que podem deixar você na mão
e veja o que fazer


A manutenção preventiva é o melhor a fazer pelo seu carro (Foto: Thinkstock)


Ficar parada no meio da rua é umas das situações mais chatas que pode acontecer para quem dirige. Pior ainda se for na hora do rush, em dia de chuva ou em local pouco seguro.

Como ainda não existe carro à prova de falhas, a melhor maneira de evitar esse tipo de aborrecimento é não descuidar da manutenção preventiva e, claro, dirigir com cuidado.

Agora, se o seu carro parar, mantenha a calma e tente estacionar em um lugar seguro. Se isso não for possível, sinalize rapidamente para que os outros motoristas possam desviar com segurança.

Veja abaixo algumas dicas que podem ajudá-la a diagnosticar a causa do problema e, assim, pedir a ajuda mais adequada.

1- Bateria
A luz indicativa acesa no painel é sinal de falha na bateria ou no alternador, que é o responsável por mantê-la carregada. A causa pode ser falta de manutenção da bateria e do alternador ou sobrecarga do sistema elétrico – que costuma acontecer quando o carro possui muitos equipamentos eletrônicos instalados fora do projeto original.

O mau funcionamento de rádio, travas e vidros é um dos sinais do defeito. Outro é a dificuldade de ligar o carro. Para resolver o problema, leve o carro até um auto-elétrico, que vai avaliar qual a melhor solução – recarga da bateria, troca de bateria ou alternador, retirada de equipamentos que sobrecarregam o sistema.

Clique aqui para ler mais sobre pane elétrica

2- Correia dentada
Essa cinta de borracha é uma peça importantíssima do motor e, quando se rompe, ele deixa de funcionar. O pior é que isso geralmente acontece quando o carro está em movimento, o que pode provocar um estrago enorme.

Para prevenir essa dor de cabeça, os fabricantes recomendam a troca da peça a cada 40 a 60 mil quilômetros. Também vale checar as condições dela a cada 10 mil quilômetros.



Clique aqui para ler mais sobre correia dentada

3- Bobina
Ela fornece a corrente necessária para que as velas produzam a faísca que aciona o motor. Quando superaquece, a bobina deixa de enviar a corrente e o carro não liga. Isso pode acontecer devido a um desgaste da peça. Nesse caso, a solução é esperar que ela esfrie e, assim que possível, procurar um mecânico de confiança.

4- Superaquecimento
Se o ponteiro do mostrador de temperatura entrar na marcação vermelha é sinal de que o motor está esquentando demais – em alguns veículos, essa situação também aciona um aviso luminoso no painel ou dispara um alarme sonoro. Nesse caso, pare o caro imediatamente para não fundir o motor.

O superaquecimento pode acontecer quando o nível do líquido de arrefecimento está muito baixo, quando há um vazamento de água ou quando o aditivo usado está fora dos padrões. A causa também pode ser o mau funcionamento da ventoinha elétrica, defeito da válvula termoestática ou fusíveis queimados.

Clique aqui para ler mais sobre arrefecimento

5- Bomba elétrica de combustível
É ela que manda o combustível para o motor do carro, por isso você pode ficar na mão se a bomba começar a falhar ou parar totalmente.

Para saber se ela está funcionando, você pode fazer um teste. Feche o vidro do carro e dê a partida. Você deve ouvir o barulho de um motorzinho elétrico. Se não ouvir nada, a bomba deixou de trabalhar. A peça não tem conserto e deve ser substituída por uma nova.

Para não sobrecarregar a bomba, faça a troca do filtro de combustível periodicamente e evite rodar sempre na reserva.

fonte:Petrobrás

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
imagem-logo
© Guerreiros do Asfalto DF - 2012 - Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo