Saiba os planos para o BRA da Sinotruk


Marca confirma fábrica em SC, fala de comercial leve e de sua rede -
Fábrica brasileira iniciará produção com CKD.
A Sinotruk começou a operar no Brasil, em 2009, por meio de uma parceria com a Elecsonic, empresa fundada por 11 sócios com experiência no setor varejista de caminhões da região sul do País. Do acordo entre chineses e brasileiros, surgiu a Sinotruk Brasil que, em breve, terá uma fábrica no município de Lajes, em Santa Catarina. “Estamos passando de uma importadora para uma montadora”, afirmou Joel Anderson, diretor geral da marca para o território brasileiro.
Atualmente, a empresa oferece o caminhão pesado Howo, que já teve mais de 900 unidades comercializadas no Brasil, e, em setembro, também comercializará a Linha A7. A projeção da companhia é de vender 1,1 mil caminhões neste ano, mesmo com a dificuldade imposta pelo aumento do IPI (Imposto sobre Produtos Importados).
Sobre esta medida do governo, Anderson afirmou que a empresa continua com os seus planos ainda que o setor de caminhões esteja enfrentando alguns problemas. “Apesar do mercado desfavorável, pela instabilidade econômica e pela alta do IPI, mantemos o projeto de construir uma fábrica”, declarou.
A previsão é que a planta de Santa Catarina produza os primeiros modelos em janeiro de 2014. Sendo que a comercialização dos veículos, produzidos por lá, deve começar cinco meses depois, mais precisamente, em junho. A empresa projeta que, no primeiro ano, saiam cinco mil caminhões da unidade catarinense e nos anos seguinte este número passe a ser de oito mil.
Hoje, o volume de emplacamento de caminhões da Sinotruk não é suficiente para justificar uma fábrica no País, no entanto, o diretor geral da companhia afirma que a sustentação da unidade produtiva brasileira está no mercado externo. “O projeto da fábrica no Brasil atenderá aos países da América do Sul, por isso se torna viável”, declarou. O executivo ainda informou que, atualmente, os países sul-americanos absorvem 6.500 veículos da marca por ano.
A empresa declarou que pretende investir R$ 300 milhões para erguer a fábrica, dos quais 76% serão investidos pelo Grupo Brasileiro e 24% pela CNHTC (China National Heavy Duty Truck Corporation) dona da marca na China. “Este é um investimento inicial, mas ao longo de cinco anos este valor deverá ultrapassar a casa de R$ 1 bilhão”, declarou Anderson.
No primeiro momento, a fábrica brasileira montará CKD, mas já há projetos para que os caminhões sejam nacionalizados. “Fornecedores já nos procuraram para atuar conosco”, afirmou o executivo, que explicou que em 36 meses, depois de inaugurada, a fábrica deverá atingir o índice de 65% de nacionalização necessário para não pagar a sobretaxa do IPI.
Rede forte, marca forte
Para se consolidar no Brasil, a Sinotruk aposta no aumento da rede de concessionários. A empresa conta, atualmente, com 35 unidades, em 17 Estados, já existe mais oito em construção.
De acordo com João Silvano Pacheco, gerente regional de Desenvolvimento da Rede no Brasil, neste ano, a empresa abrirá mais cinco postos de atendimento, em 2013, serão mais onze, e, em 2014, outros onze, totalizando 62 concessionárias em três anos.
Comercial leve no Brasil
Recentemente, a CNHTC adquiriu uma fabricante de comerciais leves na China e Joel Anderson, diretor geral da Sinotruk Brasil, afirmou que as primeiras unidades deste segmento deverão chegar por aqui no próximo ano. O executivo também falou que ainda não há planos para que eles sejam fabricados em território brasileiro, no entanto, a adaptação da planta catarinense para este tipo de produção não seria nenhum problema

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
imagem-logo
© Guerreiros do Asfalto DF - 2012 - Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo