Concer instala câmeras no trecho onde ciclista foi atropelado por Thor Batista

Segundo concessionária, monitoramento já estava planejado desde agosto de 2011


Segundo a polícia, carro de Thor poderá,
passar por uma nova perícia; carro foi vistoriado
por peritos do ICCE no local do acidente,
 segundo delegado da 61ª DP


 Do R7 | 23/03/2012 às 10h00 | Atualizado em: 23/03/2012 às 10h15

A Concer (concessionária que administra a rodovia Rio-Juiz de Fora), local onde o filho do empresário Eike Batista atropeloue matou o ajudante de caminhão Wanderson Pereira, 30 anos, no último sábado (17), está instalando câmeras de monitoramento no trecho onde ocorreu o acidente. Segundo a assessoria da empresa, a instalação já estava programada desde agosto do ano passado, início do Programa Rodovia Inteligente, aprovado pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres).

Detran-RJ instaura processo contra filho de Eike Batista

Polícia faz exame para saber se homem atropelado por Thor estava embriagado
Segundo a Concer, a instalação de duas câmeras entre os quilômetros 101 e 102 da Rio-Juiz de Fora, mesmo trecho do atropelamento, aconteceu coincidentemente na mesma semana do acidente. Mais de 70 câmeras serão instaladas em todo o trecho da BR-040, 34 delas até o fim deste ano, além de painéis de mensagens variáveis e sistemas de sensoriamento meteorológico. As imagens são gravadas. 

A Concer informou ainda que 15 câmeras já funcionam na rodovia, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, desde 2005.

Família da vítima quer acordo com Thor

Um dia após a Polícia Civil ter afirmado que  Wanderson estava na pista e não no acostamento quando foi atropelado por Thor, o advogado da vítima disse na quinta-feira (22) que trabalha por um acordo entre as partes. 

Segundo o advogado da família do ciclista, Cléber Carvalho, representantes de Thor procuraram a família de Wanderson para agendar um encontro e discutir o caso.

- Se houver a possibilidade de conversar olho no olho e chegar a um acordo, muito da tensão que aconteceu em função da tragédia se dilui. 

Logo após o acidente, quando a família alegava que o ciclista havia sido atingido no acostamento e que Thor estava acima do limite de velocidade permitido, de 110km/h, o advogado chegou a defender que o filho de Eike fosse indiciado por homicídio doloso, com intenção de matar. 

Na quarta-feira (21), o delegado descartou a hipótese de o acidente ter ocorrido no acostamento e afirmou que Thor só será responsabilizado se a perícia, a ser concluída de 15 a 30 dias, comprovar que trafegava acima da velocidade permitida. Se estiver abaixo desse limite, o inquérito será arquivado e o ciclista será considerado responsável pela própria morte. 

Também quarta-feira, após depor à Polícia Civil, Thor afirmou respeitar a dor causada à família da vítima e estar disposto a indenizar a família. 

Ainda de acordo com o advogado, o "fato de Thor ter mencionado o respeito à dor da família já diminuiu essa tensão. Thor está sofrendo também, é um trauma que vai levar para sempre. Ninguém passa por uma tragédia dessa sem se abalar".

Questionado se o ciclista estava na pista, como afirma a polícia, ou no acostamento, como alegou a família, o advogado disse que vai aguardar o fim da investigação.

- Vamos acompanhar o inquérito, o importante agora é que eles digam um para o outro o quanto estão sofrendo.

O advogado está calculando a indenização que pedirá a Thor, com base na renda de Wanderson, que era ajudante de caminhoneiro e usava o dinheiro para auxiliar a família.

- Estamos avaliando as variáveis para chegar ao valor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
imagem-logo
© Guerreiros do Asfalto DF - 2012 - Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo