Clube do Choro ganha o nome de Espaço Cultural do Choro e é reinaugurado nesta quinta-feira em prédio projetado por Oscar Niemeyer


Aos 33 anos, o Clube do Choro de Brasília muda de nome e também de endereço. A partir desta quinta-feira (10/11), a instituição ganha sede projetada por Oscar Niemeyer e o título de Espaço Cultural do Choro. São mais de dois mil metros quadrados que abrigarão, além do Café-Concerto, agora ampliado para 420 lugares, a Escola Brasileira de Choro Raphael Rabelo, com capacidade para mil alunos, e o futuro Centro de Memória e Referência do Choro, sob supervisão da Universidade de Brasília (UnB).
"O Clube do Choro é o símbolo do que há de mais autêntico na criação musical brasileira. É o Brasil falando com a sua capital. Esta reinauguração agrega algo extraordinariamente valioso à cidade: é o primeiro edifício projetado por Niemeyer a ser inaugurado no governo Agnelo Queiroz, com importância superlativa e que nos dará uma lição permanente do que é capaz o talento brasileiro para a música”, ressalta o secretário de Cultura, Hamilton Pereira.
Para a reinauguração, que será realizada a partir das 20h, foram convocados o bandolinista e guitarrista baiano Armandinho, a Banda Mantiqueira e o grupo Choro Livre, o mais antigo em atividade na capital. Hoje (09/11), também com apresentação de Armandinho, haverá festa no antigo clube, que se tornará um Centro de Memória e Referência do Choro.
O convite a Armandinho para comandar os dois shows é justificado por Henrique Santos Filho, conhecido como Reco do Bandolim, como uma dívida de gratidão. Quando assumiu a presidência do clube, em 1993, Reco do Bandolim encontrou a antiga sede desativada e como abrigo de moradores de rua. Foi então que Armandinho e Raphael Rabello vieram a Brasília para um show na Sala Villa-Lobos com renda revertida à restauração do lugar.
A partir daí começaram os projetos para chamar a atenção de grandes instrumentistas e a missão de transformar o espaço na mais tradicional instituição do gênero no país. Desde 1997, mestres da MPB como Pixinguinha, Ernesto Nazareth, Chiquinha Gonzaga, Jacob do Bandolim, Villa-Lobos e Waldyr Azevedo, entre outros, têm suas obras revistas e atualizadas por outros artistas. 
Tombamento
O Clube do Choro é tombado pelo Governo do Distrito Federal como "patrimônio imaterial de Brasília" e recebeu da Presidência da República a comenda da Ordem do Mérito Cultural. Apesar do sucesso indiscutível, que levou o historiador da MPB Sérgio Cabral a qualificá-lo como "uma das mais importantes instituições culturais do país", funcionava em prédio originalmente destinado a servir de vestiário para os funcionários do Centro de Convenções Ulysses Guimarães.
A reinauguração marca o início das festividades que se estenderão até 17 de dezembro. Entre outras atrações, virão a Brasília o guitarrista Pepeu Gomes, o pianista João Donato, o multi-instrumentista Carlos Malta, o bandolinista Danilo Britto, a Traditional Jazz Band e o artista cubano Pepe Cisneros com o grupo Cuba 7.
A temporada deste ano será encerrada com uma semana de apresentações de alunos da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello. E o projeto para 2012 já tem nome: Meu Caro Amigo Chico Buarque, inteiramente dedicado à obra do primeiro artista brasileiro vivo homenageado pelo agora Espaço Cultural do Choro.
Para aprender o choro
A Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello, em pleno funcionamento desde março, tem oito salas de aula com capacidade para 30 alunos, 10 salas menores para a prática de instrumentos, uma sala maior para o ensino de teoria e outra para reunião dos professores. Hoje, são 795 alunos matriculados nas aulas de violão de seis e sete cordas, bandolim, cavaquinho, violino, viola caipira, flauta, saxofone, gaita e pandeiro. O processo seletivo para o ano de 2012 será anunciado em 31 de dezembro. Hoje, são oitos aulas por mês e as mensalidades custam R$ 70. Entre os matriculados, 25% são bolsistas de baixa renda.
Como é de costume nos finais de ano, músicos da orquestra Mantiqueira (10/11), do grupo Pepe Cisneros e Cuba 7 (11/11) e da Traditional Jazz Band (12/11) farão workshops com aulas gratuitas e abertas à população, em especial aos estudantes de música.
  
Clube do Choro, ou melhor, Espaço Cultural do Choro em números:
- 33 anos
- 1,5 mil shows
- 2,5 mil músicos
- Plateia estimada em 500 mil espectadores
- 8 salas de aula com 795 estudantes de bandolim, cavaquinho, pandeiro, flauta, saxofone, gaita, violão de seis e sete cordas e viola caipira
Serviço:
- Espaço Cultural do Choro, ao lado do antigo Clube do Choro, SDC, Bloco G, Eixo Monumental.
Reinauguração nesta quinta-feira, 10 de novembro, a partir das 20h. Entrada franca limitada à capacidade da casa.
Mais informações no site: www.clubedochoro.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
imagem-logo
© Guerreiros do Asfalto DF - 2012 - Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo