Detran alerta: faltam 15 dias para a exigência do CRLV 2017

Quem for flagrado sem o documento cometerá multa gravíssima, receberá sete
pontos na CNH e terá o veículo removido
Faltando 15 dias para a fiscalização do licenciamento 2017, somente 47% da frota de 1.696.379 está licenciada, ou seja 798.215 veículos.

Se comparado a 2016, quando foram licenciados 1.174.022 veículos, em tese, ainda faltariam pelo menos 375.807 veículos para serem regularizados. Isso dá uma média de 25.053 atendimentos por dia, nas próximas duas semanas, sem levar em conta o fim de semana, quando o Detran está fechado.

O Departamento alerta que quem for pego sem o licenciamento 2017 cometerá uma infração gravíssima, com multa de R$ 293,47, sete pontos na CNH e remoção do veículo, além de outras despesas com guincho, diária, vistoria e serviço de liberação, conforme o Código de Trânsito Brasileiro.

Somente este ano, 19.750 condutores foram autuados por falta de licenciamento e 10.656 veículos foram recolhidos aos depósitos do Detran pelo mesmo motivo.
Regularize seu veículo de casa
O usuário não precisa ir ao Detran para regularizar o seu veículo. Basta entrar no site e  imprimir os boletos de débitos, tais como, IPVA, DPVAT – seguro obrigatório, taxa de Licenciamento e multas pendentes. Após serem quitados e baixados no sistema, o documento do veículo será enviado, automaticamente, ao endereço registrado no Detran.

Aquele que não receber o documento deverá verificar no site do Órgão (www.detran.df.gov.br), no campo veículos, se existe alguma pendência. Se for constatado algum débito, o boleto poderá ser gerado por meio do próprio site. Também é importante verificar se o endereço residencial está atualizado.
Autorização para circulação
Neste ano, o Detran também lançou o Protocolo de Autorização Provisória para a Circulação de Veículo.  O documento é emitido por meio do site do Detran e tem validade de 30 dias, prazo máximo para que o usuário receba o licenciamento de 2017 em sua casa. A Autorização vale para circular somente no Distrito Federal.

fonte:Detran

More Goodies @ NackVision
LEIA MAIS >>>

Consórcio Nacional DAF realiza primeira assembleia

Encontro aconteceu na concessionária MacPonta, em Ponta Grossa (PR)
 A DAF Caminhões Brasil, realizou a primeira assembleia do Consórcio Nacional DAF no último dia 14, na MacPonta Caminhões, em Ponta Grossa (PR). O encontro reuniu clientes do consórcio, toda a rede de concessionários e também executivos da DAF e Randon Consórcio para realizarem o primeiro sorteio. 
 “É um momento muito significante para a DAF, pois marca o amadurecimento das nossas operações comerciais no Brasil. O consórcio é um dos meios mais tradicionais de comercialização de caminhões no país, então ter o nosso primeiro grupo fechado é um marco muito importante”, diz Luis Gambim, Diretor Comercial da DAF Caminhões Brasil. 
 Criado em parceria com a Randon Consórcio, o Consórcio Nacional DAF é mais um produto oferecido pela DAF Caminhões Brasil para facilitar a venda a prazo ao consumidor com maior facilidade ao crédito. O produto facilita a compra de todos os produtos da marca com planos mais econômicos, além de permitir o parcelamento de 100% do caminhão com pagamento em até 100 meses. 
 “A primeira assembleia do Consórcio Nacional DAF consolidou definitivamente a parceria de sucesso entre a DAF e a Randon Consórcios. Tenho absoluta convicção de que, com trabalho conjunto, o consórcio DAF viabilizará muitas oportunidades de negócios, aliando a expertise da Randon Consórcios com a tradição e a qualidade da DAF”, diz Claudio Bassani, Gerente Comercial da Randon Consórcios.
 Para mais informações acesse o site. http://www.dafcaminhoes.com.br/pt-br/services/financial-solutions/Consorcio-DAF/
 A PACCAR é líder global em tecnologia, design, produção e atendimento ao cliente para caminhões leves, médios e pesados, de alta qualidade, sob as marcas Kenworth, Peterbilt e DAF. A PACCAR também projeta e produz motores avançados a diesel, fornece serviços financeiros e de tecnologia da informação, e distribui peças para caminhões relacionadas a seus principais negócios. As ações da PACCAR são negociadas no mercado Nasdaq GlobalSelect, com o símbolo PCAR, e o site da empresa é www.paccar.com.br

LEIA MAIS >>>

GDF tenta esconder sucateamento da segurança pública com novas viaturas, afirma Sinpol-DF

Foi assassinada por volta das 23h30 da última terça-feira, 8, a servidora do Ministério da Cultura e jornalista Maria Vanessa Veiga Esteves. A vítima tinha 55 anos. O crime aconteceu durante um assalto na quadra 408, da Asa Norte, no Plano Piloto. O caso tem gerado grande comoção, sobretudo pelas circunstâncias da morte da servidora pública: mesmo tendo entregado a bolsa sem resistir, os criminosos a atacaram covardemente. 
"Se depender do Governo de Brasília, esse tende a ser apenas mais um caso, pois, ultimamente, a principal política de Segurança Pública da administração capitaneada pelo governador Rodrigo Rollemberg e pelo secretário Edval Novaes é sentar à mesa e apresentar números; analisar dados para apontar que os latrocínios diminuíram em um intervalo de tempo; levar a população a acreditar que este caso foi apenas mais um", denuncia Rodrigo Franco Gaúcho, presidente do Sindicato dos Policiais Civis do DF. 
A 2ª Delegacia de Polícia (DP), que atende a área onde a servidora do Ministério da Cultura foi assassinada está há quase um ano sem funcionar à noite e aos finais de semana, pois não tem efetivo para isso. Na semana passada, o comerciante Clodoaldo Alencar, de 47 anos, foi assassinado da mesma maneira, em Sobradinho. "No dia do assassinato do comerciante, as investigações não puderam começar imediatamente porque o plantão funciona com o efetivo baixo. Há apenas três investigadores trabalhando neste caso, mas eles também apuram centenas de outros crimes como homicídios e roubos naquela região", conta Gaúcho. "Mesmo assim, o GDF tenta passar para a sociedade a falsa impressão de que a criminalidade está contida ou diminuindo. Não está. E essa realidade é sentida na pele pela população", completa. O Distrito Federal receberá ao fim deste ano cerca de R$ 13 bilhões por meio do Fundo Constitucional, criado para custeio da Segurança Pública. No ano que vem, esse montante crescerá em 4,7%. "Mesmo com essa quantidade de recursos - que é maior que o orçamento de muitos estados brasileiros - o Governo de Brasília tem, deliberadamente, diminuído os investimentos em Segurança Pública. A administração maquia os orçamentos apresentados e não os executa conforme aprovados; o governo também maquia os dados da violência.
O Sinpol-DF tem há muito tempo denunciado as consequências dessas medidas para a estabilidade da Segurança Pública do DF. A Polícia Civil do DF (PCDF) tem, sobretudo, transformando-se em um órgão burocrático quando se ocupa, basicamente, em registrar a ocorrência e perdido o foco na investigação criminal", pontua o presidente do Sinpol. Grande parte dos policiais civis está, hoje, presa nos plantões, atendendo filas intermináveis, apenas produzindo um documento. Os poucos que restam não têm a mínima condição de sair às ruas para iniciar imediatamente a investigação e capturar os bandidos. Há outra parte do efetivo nas seções administrativas, trabalho que poderia ser desenvolvido por servidores da carreira de apoio policial.
"Aqueles que, de fato, estão nas seções de investigação trabalham exaustivamente para cobrir os colegas que adoecem em razão da sobrecarga de trabalho. A isso se somam os outros 300 policiais civis que trabalham no sistema penitenciário em desvio de função", denuncia o sindicato. Assim, diante do desvio de verbas federais que deveriam ser alocadas na Segurança Pública da Capital Federal e da falta de políticas para a área, aliados à má gestão, a população está fadada a ver e sentir crimes como estes virarem "rotina". 
"Para Rollemberg e seus assessores tudo é tratado como números e estatísticas. Eles têm de explicar isso para os amigos e familiares de Maria Vanessa, Luis Cláudio Rodrigues e de Clodoaldo Alencar", finaliza Rodrigo Franco.
LEIA MAIS >>>

DAF Caminhões Brasil é eleita Marca do Ano pelo segundo ano consecutivo

Título foi concedido após pesquisa organizada pela Fenabrava
ASSODAF também foi premiada novamente como “Associação de Marca do Ano”
 A DAF Caminhões Brasil recebeu pelo segundo ano consecutivo o prêmio de “Marca do Ano” pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), na categoria “Caminhões e Ônibus”. A indicação aconteceu por meio da “Pesquisa Fenabrave de Relacionamento com o Mercado” e tem como critério a participação mínima de 20% das concessionárias de cada marca indicada. A empresa vencedora foi a que atingiu a melhor média de notas atribuídas entre 25 questões sugeridas. 

“É uma honra receber este prêmio pelo segundo ano consecutivo. Isso mostra o comprometimento que temos com nossos clientes e com o Brasil. A DAF veio para ficar e estamos sendo reconhecidos por isso. 2017 é um ano de grande desafio para todos, mas seguimos crescendo e trabalhando focados no atendimento ao cliente e no desenvolvimento da estrutura da nossa rede”, diz Michael Kuester, Presidente da DAF Caminhões Brasil. 

A ASSODAF, Associação Brasileira dos Distribuidores DAF, também foi premiada mais uma vez na categoria “Associação de Marca do Ano”. 

“Receber este prêmio é, além de um importante reconhecimento, uma resposta ao intenso trabalho que temos realizado, tanto concessionários quanto fábrica. Temos a honra de trabalhar com um produto diferenciado no mercado, que tem alta qualidade e que veio preparado para atender as necessidades do público brasileiro. A DAF já é tradicional mundialmente e, estar entre as mais desejadas do Brasil, nos motiva a continuar trabalhando arduamente para fortalecer a nossa rede e levar essa importante marca cada vez mais longe.”, afirma José Divalsir Gondaski, o Ferruge, presidente da ASSODAF. 

A entrega da premiação aconteceu durante a abertura do 27º Congresso e Expo Fenabrave, no dia 8 de agosto no Transamérica Expo Center, em São Paulo.

Para saber mais sobre a DAF Caminhões acesse o site. 

A PACCAR é líder global em tecnologia, design, produção e atendimento ao cliente para caminhões leves, médios e pesados, de alta qualidade, sob as marcas Kenworth, Peterbilt e DAF. A PACCAR também projeta e produz motores avançados a diesel, fornece serviços financeiros e de tecnologia da informação, e distribui peças para caminhões relacionadas a seus principais negócios. As ações da PACCAR são negociadas no mercado Nasdaq GlobalSelect, com o símbolo PCAR, e o site da empresa é www.paccar.com.

BR Comunicação Corporativa
DAF Caminhões Brasil







LEIA MAIS >>>

Novo Código Penal pode rever delação e prisão preventiva.

O Ministério Público Federal atribui à colaboração premiada importância significativa para o sucesso da operação e considera que ações para rever os
acordos têm por objetivo enfraquecer as investigações. Atualmente, o instrumento é regulado pela lei que trata de organizações criminosas, de 2013. Dos artigos que constam no atual código, a prisão preventiva não tem duração determinada e a condução coercitiva não prevê punição em caso de uso considerado abusivo.

Pelo cronograma estabelecido pela comissão especial que discute o tema, o relator João Campos (PRB-GO) deve entregar o seu parecer ainda em agosto. Com isso, o projeto pode ser votado até outubro no plenário da Câmara. O texto final será resultado de outros cinco relatórios parciais já apresentados.

A reforma no CPP, que é de 1941, teve início no Senado e foi aprovada em 2010. Na Câmara, ficou esquecida até o ano passado e foi desengavetada durante a presidência do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), alvo da Lava Jato. O peemedebista teve a prisão preventiva decretada em outubro de 2016 e está atualmente em Curitiba.

Presidente da comissão que discute o CPP na Casa, o deputado Danilo Forte (PSB-CE) tem defendido alterações nos acordos de delações premiadas e na aplicação da condução coercitiva. Esses pontos estão em discussão, mas ainda não foram sistematizados em um relatório.

Forte discorda do fato de uma pessoa presa poder fechar acordos de delação premiada e defende que hoje há um poder excessivo concentrado nas mãos dos procuradores. Para ele, o juiz deveria acompanhar toda a negociação entre o Ministério Público e o delator, e não apenas ter acesso ao acordo no final do processo. Aliado de Temer, ele faz críticas ao acordo fechado com os irmãos Joesley e Wesley Batista e diz que o perdão da pena concedido a eles pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foi excessivo.

Forte também considera que é preciso prever punições para quem desrespeitar as regras da condução coercitiva, que deve ser colocada em prática somente se uma pessoa se negar a prestar depoimento.

Prisões

Um dos relatórios parciais já apresentados trata sobre a questão das prisões preventivas. Elaborado pelo deputado Paulo Teixeira (PT-SP) com a ajuda de advogados, juristas e professores de Direito, o texto propõe que haja um prazo de duração. Apesar de alguns integrantes da comissão defenderem um tempo menor, o deputado manteve a proposta inicialmente aprovada pelos senadores em 2010, que estabelece que esse tipo de prisão pode durar no máximo 180 dias.

No texto, Teixeira sugere também que o novo CPP deixe explícito que o instrumento "jamais" possa ser utilizado como "forma de antecipação da pena" e afirma que o "clamor público não justifica, por si só, a decretação da prisão preventiva".

O relatório prevê ainda a "proteção da imagem do preso" e a punição das autoridades que deixarem uma pessoa ser fotografada ou filmada pela imprensa durante o momento em que é levada à cadeia. "Não se está, aqui, a regular ou restringir a atividade jornalística. Longe disso. Antes, busca-se responsabilizar as autoridades", diz o texto.

Em outra frente, o relatório também modifica o atual entendimento do Supremo Tribunal Federal em relação à aplicação de penas após a condenação em segunda instância. Para Teixeira, isso só deveria acontecer após o chamado trânsito em julgado, isto é, após se esgotar todos os recursos.

Esses pontos, no entanto, não são consenso entre os membros da comissão. Para João Campos, que também foi relator da lei das organizações criminosas, que disciplinou a delação premiada, não há porque incluir mudanças relativas às delações premiadas no texto novo do Código de Processo Penal. "É uma lei recente, de 2013, e o instituto da delação premiada vem dando certo", disse. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
LEIA MAIS >>>

Hildo do Candango reivindica melhorias junto ao ministro dos Transportes

Na noite desta quarta-feira (29), o prefeito de Águas Lindas de Goiás Hildo do Candango se
reuniu com o ministro dos Transportes, Maurício Quintella, para apresentar diversas demandas da cidade. O encontro aconteceu no Ministério dos Transportes em Brasília, e contou com a participação do deputado federal Jovair Arantes, e do secretário municipal de Transportes Vicente Manoel.

Segundo Hildo, a reunião se deu por conta da necessidade de melhoria no transporte público da cidade, e de toda região. “Nós temos lutado para melhorar o transporte desde que assumimos a prefeitura em 2013, e é uma luta constante. Sabemos da necessidade de investimentos na área e precisamos de aliados nesta luta, e agradeço ao ministro por ter nos recebido nesta noite”.

Em sua lista de reivindicações, Hildo solicitou a instalação de novas passarelas, já que a cidade tem se desenvolvido e é necessário que sejam construídas. “Fizemos estudos e no momento duas passarelas, uma em frente ao shopping e outra na entrada do Jardim Brasília, iriam proporcionar mais segurança aos pedestres”, defendeu Hildo.

Além disso, foi apresentado um projeto para instalação de estacionamentos nas marginais da BR-070, e um subsídio para a implantação do Passe Estudantil aos alunos de Águas Lindas que estudam no Distrito Federal.

“Saímos deste encontro, confiantes, já que o ministro pediu prioridade para reivindicações apresentadas pela nossa comitiva. Acredito que seremos atendidos, pois a nossa população carece de um transporte de qualidade e de ações como esta para melhorar a vida dos moradores”, concluiu Hildo.

O ministro Maurício Quintella ouviu atentamente as reivindicações do prefeito Hildo do Candango e de sua equipe, demonstrou ser conhecedor das dificuldades da Região Metropolitana de Brasília, e garantiu que vai trabalhar pelo bem estar da população.


More Goodies @ NackVision
LEIA MAIS >>>

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
imagem-logo
© Guerreiros do Asfalto DF - 2012 - Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo